A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR

Tenho observado em minha vida profissional, que as crianças cada vez mais cedo, nas escolas tradicionais, são confrontadas com a necessidade de desenvolver o intelecto, por meio da alfabetização, da aprendizagem formal, antes mesmo de estarem prontas para tal tarefa. É então podado o movimento espontâneo do brincar, e este é transformado em uma ferramenta pedagógica. Perde-se dessa forma a riqueza dessa fase, como um processo que nasce na criança, de dentro para fora



Tenho desenvolvido um trabalho com os educadores, que tem essa proposta de estimular a vivência lúdica. Quando eles próprios vivem este processo, se sensibilizam para a importância de permitir que as crianças vivenciem esta fase plenamente.


Vejo nas crianças que cresceram com esta liberdade, uma leveza e alegria e um forte eixo de conexão grupal, onde há uma intrínseca cooperação entre eles. Pois tiveram a oportunidade de liberar seu ser espontâneo e expressar seus desejos.

Sempre questionei em meu processo de escolarização, as formalidades impostas pelo sistema de ensino, com o excesso de informações que não eram devidamente incorporadas ou digeridas. Eu expressava meus questionamentos, com a natural rebeldia da adolescência.


Desde cedo ao me tornar educadora, escolhi a arte-educação, pois permitia um engajamento verdadeiro com o ser da criança e a interação dela com o mundo a partir da alma. Assim estimulada ela torna-se um ser criador com o livre pensar, se destacando da massa moldada pelo sistema, por meio da expressão de sua própria originalidade.


9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo